29 de agosto de 2008

Peixinho fora d'água

Quando era pequena, Clarice mergulhava sem abrir os olhos. Todo mundo abria os olhos, ela não. Tinha medo e por isso preferia ficar lá, no cantinho da piscina enquanto todo mundo abria os olhos lá embaixo e voltava sorrindo. Mas Clarice também sorria. Ela não abria os olhos lá embaixo, mas deixava-os bem abertos enquanto estava com eles fora d'água. Ficava olhando seus pés, os namorados passando abraçados, a maquininha de sorvete, a formiga passando na beirada da piscina. O que mais gostava de olhar eram as ruguinhas da mão, ela pegava a pontinha do dedo e ficava passando na boca, pra sentir o enrugadinho. O pessoal em volta vivia comentando: "mas qual a graça dela não abrir os olhos lá embaixo?". Clarice era carta marcada da piscina do clube social. Sempre que saía, todas as crianças olhavam pra ela e as mães cochichavam: "coitada da mãe, não verá a filha fazendo aula de natação como nossos filhos nunca". Mas a menina nem ligava, ninguém nunca entenderia a sensação de ver os dedinhos enrugados. Não era preciso se abrir os olhos lá embaixo pra ficar feliz, o mundo estava fora d'água e girava mais a cada instante. Com a rotação da Terra, os dias foram passando e Clarice ficou mais velha. Um dia conheceu Augusto e junto com ele abriu os olhos dentro da água. Claro, com uma parede de vidro na frente e em solo. Mas foi assim que ela finalmente conheceu tudo que estava lá embaixo. Viu que aquilo era bem melhor que o fundo da piscina e nem era preciso ficar com os olhos vermelhos. Ela nem gostava de natação mesmo...

4 comentários:

Mari disse...

aaaaaaaaaaaaai que lindo!
cacá, por mais que tenhamos nos afastado, eu continuo te considerendo MUITO e vc continua aquela pessoa especial na minha vida...
;))
te amo!



ps: no primeiro comentário eu escrevi espAcial ao inves de espEcial!

Iriê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jersica Paes disse...

Eu tbm não abro os olhos!
Voltarei sempre... Gostei mto de teu blog, menina!
Parabéns!!!
Vou linkar no meu, se não se importar.
Abço e até mais...

Cris disse...

Camilinha...eu também nao abro os olhos dentro da água...kkk...mas vc está abrindo os olhos da alma...e enxergando sentimentos maravilhosos que outros nao conseguem enxergar....com certeza as outras maes vao morrer de inveja da sua e a sua poderá dizer: "nadar qualquer um nada...mas escrever a vida com os olhos da alma...so a minha Camilinha consegue" bj Cris ( a sua dentista)